quinta-feira, 1 de março de 2007

Amor e amar

Eu não amo o amor
porque ele me acende em demasia
e me larga em brasas e cinzas
na soleira da porta
à tua espera
Mas eu amo o ato de te amar
porque quando você encosta quente em mim
faz calar o mundo lá fora
e enfeita meu dia
com estrelas e borboletas

Um comentário:

rato contra a vassoura disse...

gente...
to pasmo com a sutileza dos seus poemas menina
são ternos como o amor mais raro que eu nunca vi